Inquérito culpa Defesa por captura de britânicos no Irã

Fuzileiros só foram detidos no Golfo Pérsico devido a "falha de julgamento coletiva"

Agencia Estado

21 Junho 2007 | 13h05

Um inquérito independente atacou o Ministério da Defesa britânico nesta terça-feira, 19, por ter permitido que os fuzileiros navais capturados por forças iranianas vendessem suas histórias para a mídia, dizendo que houve uma "falha de julgamento coletiva" no departamento. Um segundo inquérito - sobre como foram capturados os soldados britânicos pela Guarda Revolucionária iraniana - dizia que não havia nenhum erro que levasse à apreensão dos militares, nem uma causa para a ação disciplinar, disse o Secretário da Defesa, Des Browne a legisladores. O Inquérito sobre aspectos operacionais da captura foi classificado, mas o Almirante Jonathon Band, disse que as recomendações foram implementadas. "Os eventos de 23 de março foram um dia ruim e nossa orgulhosa (...) história. Posso garantir aos britânicos que irei pessoalmente me certificar de que as recomendações desse relatório serão totalmente implementadas", disse Band, o cabeça da Marinha Real. Os marinheiros britânicos e fuzileiros estavam procurando um barco mercador no Golfo Pérsico quando foram interceptados por iranianos, afirmaram as autoridades britânicas e americanas. O Irã acusava os militares de terem invadido águas territoriais, o que o Reino Unido negou. O relatório determina que a apreensão dos militares resultou do "encontro de várias vulnerabilidades". Browne afirmou que "sabia que esta falha era minha responsabilidade". Os soldados foram libertados e tiveram uma recepção calorosa em casa, mas a opinião pública logo se irritou quando anunciaram que suas histórias poderiam ser vendidas para tablóides britânicos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.