Inspeção de arsenal pode começar terça-feira

Órgão da ONU pede doações para viabilizar operação; especialistas ainda investigam uso recente de armas químicas

27 Setembro 2013 | 23h15

Especialistas da Organização para a Proibição de Armas Químicas (Opaq), organismo da ONU, devem começar a inspecionar o estoque de armamento proibido da Síria na próxima terça-feira, dia 1 de outubro, de acordo com um documento obtido pela Reuters.

O trabalho começaria, portanto, apenas um dia depois da data definida pelos inspetores que já estão no país para encerrar as investigações de sete casos de suspeita de uso de armas químicas. O relatório mais amplo sobre esses casos, no entanto, só deve ser concluído no fim de outubro.

A proposta, aprovada no começo da noite desta sexta-feira, 27, de forma unânime pelos 41 membros da Opaq, convida associados do organismo a fazer doações em dinheiro para uma operação acelerada de destruição do arsenal químico sírio.

O projeto precisava de maioria simples para ser aprovado. Segundo uma fonte diplomática, que preferiu não se identificar, um dos países-membros tinha defendido suspensão da reunião para poder consultar a posição de seu governo a respeito de uma proposta de emenda feita pelo Irã.

O projeto da Opaq pede financiamento urgente para a contratação de inspetores e técnicos para destruir o que as agências de inteligência ocidentais acreditam ser um estoque de 1.000 toneladas dos agentes químicos sarin, mostarda e VX, construído ao longo de décadas e espalhado por dezenas de locais.

Criada para fazer cumprir a Convenção de Armas Químicas, de 1997, a Opaq tem um orçamento anual de menos de US$ 100 milhões e cerca de 500 funcionários. O organismo não terá força de trabalho necessária para realizar a tarefa se não obtiver um aumento significativo de recursos. / REUTERS

Mais conteúdo sobre:
síriaarsenalonuarmas químicas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.