Inspetores da AIEA visitam instalações nucleares no Irã

Conversas entre especialistas iranianos e das potências do grupo 5+1 começam a discutir bases de acordo

O Estado de S. Paulo,

05 Maio 2014 | 17h02

TEERÃ - Uma equipe de inspetores da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) da ONU foi para Teerã nesta segunda-feira, 5, visitar instalações nucleares como parte de um acordo de cooperação feito em fevereiro.

O vice-diretor-geral da AIEA, Massimo Aparo, se encontrou com funcionários da Organização Iraniana de Energia Atômica (OIEA) e visitou minas de urânio em Saghand e a fábrica de produção de urânio concentrado em Ardakan, no centro do Irã.

Um funcionário da OIEA, citado pela agência Irna, afirmou que Aparo também deveria se encontrar com o responsáveis pela instalação de Arak para tratar do reator de água pesada. Países ocidentais se preocupam com o uso militar da instalação.

O acordo de fevereiro estabelece sete medidas de transparência sobre o programa nuclear iraniano que devem ser verificadas até o dia 15 de maio. O porta-voz da OIEA, Behruz Kamalvandi, afirmou que o Irã vai cumprir o prazo. O país tem permitido, nos últimos meses, que inspetores da AIEA entrem na mina de urânio de Gachín.

A cooperação entre o Irã e a agência nuclear da ONU ocorre paralelamente às negociações entre Teerã e as potências do grupo 5+1 (EUA, Rússia, China, França, Grã-Bretanha mais Alemanha), que pretendem um acordo definitivo sobre o programa nuclear iraniano.

As bases do acordo definitivo devem começar a ser discutidas por especialistas iranianos e das potências nesta terça-feira. As conversas durarão dois dias, informaram fontes diplomáticas de Teerã, e serão uma preparação para a reunião ministerial, prevista para o dia 13 em Viena.

Pelo acordo, o Irã deve garantir, até o dia 20 de julho, que seu programa é exclusivamente pacífico. Em troca, as potências deixarão de aplicar sanções econômicas impostas a Teerã. Desde janeiro, um acordo provisório está em vigor.

O prazo para o acordo final pode ser prorrogado por mais seis meses, mas o presidente do Irã, Hasan Rohani, e o ministro de Relações Exteriores e chefe das negociações, Mohamed Yavad Zarif, dizem estar otimistas em fechar o acordo no prazo estabelecido./ EFE

 

Mais conteúdo sobre:
Irã programa nuclear AIEA

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.