Inspetores da ONU confirmam ataque químico na Síria

Os inspetores da Organização das Nações Unidas (ONU) confirmaram nesta quinta-feira que foram utilizadas armas químicas no conflito sírio. De acordo com o relatório, em 21 de agosto, as armas químicas teriam sido utilizadas nos ataques em Damasco. Além disso, elas teriam sido usadas em outras quatro cidades entre março e agosto.

AE, Agência Estado

13 de dezembro de 2013 | 04h57

O relatório de peritos de armas químicas da ONU, liderado pelo professor sueco Ake

Sellstrom, não determinou se o governo ou a oposição foram os responsáveis pelos ataques.

Sellstrom emitiu um relatório inicial em 16 de setembro, no qual concluiu que foram encontradas provas "claras e convincentes" do uso de gás sarin no ataque perpetrado em 21 de agosto nos arredores de Damasco.

O relatório desta quinta-feira informou que também há evidencias de uso de armas químicas em outras quatro cidades: Assal, Jobar, Saraqueb e Ashrafiah Sahnaya. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
síriaonuarmas químicas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.