Inspetores da ONU fazem visita surpresa a base militar iraquiana

Inspetores de armas da ONU fizeram neste sábado uma visita surpresa a um posto militar iraquiano ao norte de Bagdá, onde buscaram sinais de possíveis armas de destruição em massa. Como é habitual, os especialistas de armas não fizeram declarações aos jornalistas, que foram ao local e observaram o trabalho dos inspetores atrás de uma cerca.Três horas e meia depois do início da inspeção, Karim Mohsen Alwan, um agente iraquiano de segurança, disse à imprensa que a equipe já havia concluído o trabalho no local e "nada encontrou". Segundo ele, o local abrigava uma unidade equipada para responder a eventuais ataques com armas químicas contra o Iraque. Isto reforça os indícios de que os inspetores estariam buscando sinais das supostas importações iraquianas de atropina, um medicamento de uso civil capaz de combater elementos que atacam o sistema nervoso, podendo ser utilizado tanto para ataque quanto para defesa.Analistas norte-americanos asseguram que as importações de atropina fariam parte de um plano iraquiano para a utilização de armas químicas ou biológicas em qualquer parte dos Estados Unidos e que Bagdá armazenaria atropina também para proteger os soldados.A pequena base militar fica em Balad, a cerca de 80 quilômetros de Bagdá, e não parecia contar com instalações suficientes para a produção de armas. A visita dos inspetores aparentemente surpreendeu os guardas presentes na base, que apressaram-se para avisar os superiores sobre a chegada dos especialistas. Este foi o terceiro dia das inspeções, retomadas após um intervalo de quatro anos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.