Inspetores da ONU rejeitam ajuda dos EUA na Líbia

Inspetores das Nações Unidas não precisam de ajuda dos Estados Unidos para desativar o programa nuclear líbio, disse o chefe da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), Mohamed El-Baradei. Os americanos crêem que o programa nuclear líbio era muito mais desenvolvido do que dizem os inspetores da AIEA e, por conta disso, os EUA querem enviar pessoal próprio, além de peritos britânicos, para avaliar e desmantelar o projeto de armas atômicas da Líbia. Mas, embora agradeça toda informação que EUA ou Reino Unido possam fornecer, a agência da ONU dispensa ajuda no local. ?Não sei qual plano eles têm?, disse o diretor-geral El-Baradei. ?Mas, no que me diz respeito, o mandato é nosso, e pretendemos exercê-lo sozinhos?.O governo americano e a AIEA viveram momentos tensos ano passado, discordando quanto ao tamanho do programa nuclear iraquiano. Os EUA invadiram o Iraque alegando que Saddam Hussein tentava criar armas atômicas e outras armas de destruição em massa. El-Baradei sustenta que, nos meses anteriores à invasão, o Iraque era incapaz de criar uma bomba atômica. Até o momento, nenhuma arma do tipo alegado pelos americanos foi encontrada.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.