Inspetores da ONU vão a usina nuclear saqueada no Iraque

Após três meses de ausência, inspetores da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), vinculada à ONU, retornaram ao Iraque. Os agentes das Nações Unidas tentarão determinar exatamente o que foi retirado da usina nuclear de Al-Tuwaitha e como esse material poderá ser recuperado. Escoltados pelos soldados americanos, os especialistas da AIEA não serão inspetores de armas, já que os Estados Unidos não querem permitir isso.Desprotegido pelo Exército dos EUA após o fim da guerra, o local foi saqueado por moradores de cidades próximas, que retiraram o urânio armazenado em contêineres, provavelmente contaminados, e utilizaram os barris para armazenar água. O Exército americano já havia conduzido testes iniciais de radioatividade nas cidades. A análise da saúde dos moradores deverá começar nos próximos dias."Não há risco para a saúde da população dos arredores, nem dos soldados que guardam o local", garantiu Mickey Freeland, membro de uma equipe americana que busca armas nucleares supostamente mantidas por Saddam Hussein. A equipe de Freeland foi destacada para escoltar os inspetores da AIEA. Os dois grupos estão hospedados no Hotel Al-Rachid, controlado pelos Estados Unidos.A chegada de um grupo de sete especialistas da ONU - nenhum americano está entre eles - marca a primeira visita da AIEA ao Iraque desde o início da guerra.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.