Inspetores de armas da ONU elogiam cooperação do Iraque

Os inspetores internacionais de armamentos da ONU disseram-se satisfeitos com a cooperação das autoridades iraquianas no primeiro dia da nova rodada de inspeções. Eles não deram detalhes sobre a inspeção e não revelarem se foi encontrada alguma arma de destruição em massa. "A equipe foi capaz de concluir o trabalho de inspeção planejado, com a cooperação da parte iraquiana. Esperamos que a resposta iraquiana de hoje represente o padrão de cooperação futura", disse o chefe da equipe, Jacques Baute. Os inspetores da ONU visitaram uma área de testes de mísseis e uma fábrica estatal nos arredores de Bagdá. Segundo Dimitri Perricos, líder da equipe de monitoração da ONU, a Unmovic, o fato de o Iraque ter dado acesso imediato às instalações visitadas é "um bom sinal" para as atividades futuras das equipes de inspeção. Uma das equipes passou cinco horas na área de testes de mísseis de Al-Rafah, 40 km a oeste de Bagdá. Os inspetores checaram arquivos e fotografaram documentos, disse o diretor da instalação, engenheiro Ali Jassam Hussein. "Eles não encontraram nada, porque não temos nada ilegal aqui", afirmou Hussein. Os inspetores da ONU também passaram três horas numa fábrica de motores para a indústria de cimento em Al-Tahadi, 10 km a leste da capital iraquiana. Eles não falaram com a imprensa. O diretor da fábrica, Haitham Maamoud, disse à Associated Press que os inspetores visitantes eram da Agência de Energia Atômica da ONU. Ele também afirmou que a fábrica nunca teve nenhuma relação com o programa nuclear iraquiano. Horas depois do início das inspeções, as sirenes da defesa antiaérea de Bagdá soaram. Um funcionário da Defesa Civil iraquiana disse que havia "atividade aérea hostil" sobre a cidade. O comando da Força-Tarefa Conjunta dos EUA na base aérea Príncipe Sultan, na Arábia Saudita, recusou-se a comentar essa informação.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.