Instituto egípcio pede guerra santa em defesa do Iraque

A instituição suprema do mundo muçulmano sunita declarou que a guerra contra o Iraque é uma nova cruzada e encorajou todos os muçulmanos a partirem para a jihad (guerra santa). O Centro de Pesquisas Islâmicas da Universidade Al-Azhar, no Cairo, mais importante instituição de ensino da corrente sunita do islamismo, não entrou em detalhes sobre qual forma de jihad deveria ser adotada."Todo mundo pensa que a agressão contra o Iraque é inevitável", dizia uma declaração elaborada pelo centro nesta segunda-feira e obtida pela Associated Press.De acordo com a "lei islâmica, se o inimigo entra na terra dos muçulmanos, a jihad transforma-se numa obrigação de todos os homens e mulheres muçulmanos, pois nossa comunidade árabe e islâmica estará enfrentando uma nova cruzada contra nossa terra, nossa honra, nossa fé e nossa pátria".O centro pede aos árabes e muçulmanos de todo o mundo que estejam prontos para "se defender, proteger sua doutrina e se unirem, em vez de sucumbirem às vésperas da agressão, pois Deus é capaz de proteger sua religião".Os principais alvos de uma possível guerra dos Estados Unidos contra o Iraque "são as comunidades árabe e muçulmana, além de nossa fé religiosa", acredita o centro. Segundo a instituição, o "resto do mundo árabe" será atacado em seguida.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.