Instrutor de vôo-livre australiano vira herói depois de acidente nos EUA

A queda de um avião que transportava um grupo de pára-quedistas em Sullivan, no estado de Missouri, EUA, no sábado, deixou seis mortos, dois sobreviventes seriamente ferido e um herói: o instrutor de vôo-livre Robert Cook, de 22 anos. Pelo menos é assim que o pai de uma das sobreviventes do acidente, a australiana Kimberly Dear, de 21 anos, classificou a atitude de Cook, que usou seu corpo para protegê-la contra o impacto da queda. A história está no site da rede BBC"Ele é um herói, não existe outra maneira de entender o que fez", disse Bill Dear, o pai de Kimberly, à uma rede de televisão australiana.Quando percebeu que o avião estava prestes a cair, Robert Cook disse à Kimberly: "Quando o avião estiver próximo ao chão, certifique-se de que você está em cima de mim, então a queda não terá tanto impacto", explicou Dear à BBC.Mark, o pai de Robert, disse ao jornal australiano Sydney Morning Herald que o vôo-livre era a grande paixão de seu filho, que já tinha realizado mais de 1.700 saltos. Mark chamou Robert de uma "criança maravilhosa", dizendo que ele sacrificaria sua própria vida por qualquer pessoa. "Era simplesmente a sua natureza", disse Mark. Kimberly Dear, que recentemente trabalhou em um acampamento auxiliando crianças com deficiências, está no hospital e sofreu lesões na espinha, na pélvis e em ossos do pescoço. A entidade responsável pela segurança aérea dos Estados Unidos está investigando os motivos da queda. Ao que tudo indica, problemas no motor foram a aparente causa, segundo comunicou um agente da entidade à Associated Press.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.