''Insulto'' a sionista faz chanceler boicotar visita

O chanceler de Israel, Avigdor Lieberman, decidiu boicotar a visita de Luiz Inácio Lula da Silva depois que o brasileiro supostamente evitou depositar flores no túmulo do fundador do movimento sionista, Theodor Herzl (1860-1904). Assessores de Lieberman, do partido ultradireitista Israel Beiteinu, afirmaram à rádio do Exército que o chanceler não ouviria o discurso de Lula no Parlamento por causa do "insulto". Lieberman teria reclamado que Lula não irá ao mausoléu de Herzl, mas depositará flores no túmulo do palestino Yasser Arafat, em Ramallah. Segundo o jornal israelense "Jerusalem Post", diplomatas brasileiros afirmaram que outros líderes também não participaram da cerimônia, incluída de última hora na agenda. A Organização Mundial Sionista também se irritou: "É o mesmo que se recusar a depositar flores no túmulo de Kemal Ataturk, na Turquia", assinalou. / EFE

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.