Insurgentes avançam no Iraque

Insurgentes sunitas estenderem neste sábado o avanço ao longo das fronteiras da região curda semiautônoma do Iraque, no norte do país.

AE, Estadão Conteúdo

09 de agosto de 2014 | 08h37

O grupo que se autodenomina Estado Islâmico (antigo Estado Islâmico do Iraque e do Levante) começou uma nova ofensiva esta semana, aproximando-se da capital curda de Erbil. Eles assumiram o controle de Sheikhan, uma cidade mais ao norte e próxima da província curda de Dohuk. Os militantes parecem estar tentando conectar as cidades que invadiram ao longo da fronteira do território curdo, o que tem deixado os moradores da região em pânico.

O avanço ocorreu mesmo após duas rodadas de ataques dos EUA, que visavam impedir a aproximação dos insurgentes de Erbil. Ontem, aviões norte-americanos destruíram bases e comboios dos extremistas. O presidente dos EUA, Barack Obama, tem evitado usar força militar na região, mas autorizou os ataques aéreos devido à crescente ameaça imposta pelos insurgentes.

Os EUA também levaram suprimentos aos milhares de Yazidis, que compõem uma minoria religiosa que está presa perto da fronteira, segundo o Pentágono. A Organização das Nações Unidas afirmou que está avaliando com urgência as opções para um corredor humanitário.

Já o Comitê de Resgate Internacional informou que está fornecendo ajuda médica para 4 mil Yazidi refugiados na província síria de al-Hasakeh. Muitos estavam desidratados após terem passado seis dias sem água e comida.

Eleição

Em Bagdá, onde as notícias sobre os ataques aéreos norte-americanos perto de Erbil têm sido praticamente minimizadas por uma corrida eleitoral para escolher um novo primeiro-ministro, as pessoas se reuniram em uma praça para manifestar apoio ao premiê do Iraque, Nour al-Maliki. Maliki, que é xiita, está determinado a conquistar um terceiro mandato, apesar da significativa pressão dos EUA e da própria comunidade xiita para que ele permita a formação de um governo mais consensual.

A manifestação foi transmitida ao vivo por um canal de televisão de propriedade do partido político de Maliki, Dawa. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
Iraqueviolênciacurdos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.