Insurgentes começam a executar soldados reféns no Paquistão

Corpos de três militares foram encontrados após grupo fazer ameaças contra combatentes seqüestrados

Associated Press,

04 de outubro de 2007 | 08h58

Militantes responsáveis pelo seqüestro de 230 soldados paquistaneses executaram três militares nesta quinta-feira, 4, em aparente retaliação às incursões do Exército para combater insurgentes na fronteira com o Afeganistão. Os corpos com marcar de tiro foram encontrados na região de um posto de gasolina na cidade de Jandola, um dia depois de os radicais ameaçarem matar três soldados por dia se os militares não interrompessem as operações contra o grupo, segundo informaram dois oficiais do governo. Pelo menos 260 soldados foram detidos no dia 30 de agosto na província do Waziristão do Sul, uma região tribal próxima ao Afeganistão onde o Taleban e a Al-Qaeda supostamente estariam se escondendo. Embora um acordo entre insurgentes e líderes tribais tenham libertado 32 militares, o grupo continua com o seqüestro. O incidente colocou em duvida a capacidade do Exército paquistanês em lutar contra o terrorismo. Os oficiais locais reconhecem confidencialmente que os ataques envergonham e enfraquecem a moral das forças de segurança que atuam na região.

Tudo o que sabemos sobre:
Paquistão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.