Insurgentes fabricam foguetes e tanques com sucata

Da rua, a empresa dirigida por um ex-engenheiro do Exército, conhecido pelos rebeldes como Rambo, parece uma oficina comum. Lá dentro, uma dezena de mecânicos trabalha para transformar picapes em blindados equipados com velhas armas antiaéreas. O que falta, eles fabricam com sucata, como um lançador de foguete feito com cano e um gatilho de secador de cabelo. Alcance: 4 quilômetros.

William Booth, O Estado de S.Paulo

16 de julho de 2011 | 00h00

Ao lado de um sedã Volvo desmontado estão dois tanques quebrados, confiscados do Exército líbio. "Temos um dia para fazê-los rodar de novo", disse Takek Issa, um dos combatentes. As forças de oposição nas montanhas de Nafusa, no oeste da Líbia, afirmam que conseguiriam invadir Trípoli em alguns dias se tivessem armas mais poderosas. "Metade dos meus homens vai para a batalha sem armamento", disse o coronel Tarek Zanpou, que comanda 250 rebeldes em Kabaw.

Zanpou, ex-integrante da inteligência de Muamar Kadafi, diz que os rebeldes contam apenas com armas capturadas de soldados que desertaram. E é impossível levá-las às montanhas, pois forças leais ao ditador controlam as estradas. Embora os caças da Otan mantenham em terra a força aérea de Kadafi, a escassez de armamento os impede de avançar e dar fim à guerra civil.

É JORNALISTA DO "WASHINGTON POST"

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.