Insurgentes iraquianos matam 20 militares após seqüestro

O grupo insurgente Estado Islâmico do Iraque assegurou nesta terça-feira, 17, que assassinou os vinte agentes da Polícia e do Exército que estavam sendo mantidos como reféns na província de Diyala, a nordeste de Bagdá, desde o fim de semana passado.O grupo anunciou a execução dos reféns em um site usado habitualmente por esta organização, vinculada à rede terrorista Al-Qaeda.Os agentes foram seqüestrados no sábado em Bahazar, perto de Baquba, a capital de Diyala. O grupo exigia a libertação de todas as mulheres presas no Iraque como contrapartida para libertar os reféns, dando ao governo um prazo de apenas 48 horas."Após expirar o prazo dado ao governo de (Nouri) al-Maliki (...), decidimos aplicar o castigo de Deus sobre eles", afirma o comunicado, que atribuiu a decisão a um autoproclamado Ministério de Assuntos Legais.O Estado Islâmico do Iraque já tinha seqüestrado em 1º de março 14 policiais de elite, que também foram assassinados porque o governo não cumpriu as reivindicações do grupo.A organização é um dos grupos mais ativos e violentos da insurgência iraquiana. É dirigido por um homem conhecido como Abu Omar al-Baghdadi e aliado da Al-Qaeda e de outros grupos radicais sunitas do chamado Conselho Supremo dos Mujahedins.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.