Insurgentes presos podem ter ligação com americano morto no Iraque

Tropas americanas detiveram neste sábado pelo menos oito supostos insurgentes no oeste de Bagdá, onde foi encontrado o corpo de Tom Fox, cidadão americano seqüestrado em novembro por um grupo radical iraquiano. Segundo informaram testemunhas e fontes da comunidade sunita, as detenções foram registradas em Hai al Yamaá, no bairro Al Dauodi, onde foi encontrado o corpo do refém americano. Fontes do Ministério do Interior iraquiano confirmaram hoje que o cadáver de Fox, com as mãos atadas às costas e com sinais de tortura e tiros, foi encontrado na quinta-feira passada perto de uma ferrovia de Al Dauodi. Fox, de 54 anos, foi seqüestrado em 29 de novembro junto com outros três voluntários da organização "Christian Peacemaker Teams" (CPT) - um britânico e dois canadenses -, cujos seqüestradores exigiram a libertação dos presos iraquianos em poder das tropas americanas e do governo interino iraquiano. A rede de televisão catariana Al-Jazira transmitiu na segunda-feira passada um vídeo, datado de 28 de fevereiro, que mostrava três dos voluntários seqüestrados, entre os quais não estava Fox. Operação militar Várias testemunhas afirmaram que soldados americanos iniciaram na noite passada uma operação militar em Hai al Yamaá, onde inspecionaram casas e detiveram pelo menos oito pessoas. O comando militar americano e a polícia iraquiana não comentaram até o momento as detenções. Fontes do Ministério do Interior recusaram-se a dizer se as detenções têm relação com a descoberta do corpo de Fox. As detenções foram feitas em casas próximas à mesquita Al Jair e à sede da rede de televisão "Bagdá", do Partido Islâmico (PI), principal organização política sunita do país.

Agencia Estado,

11 Março 2006 | 06h48

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.