Integração latino-americana aumentará investimentos

A integração regional é um elemento-chave para que a América Central possa aumentar seus fluxos de investimento, que no ano passado somaram US$ 2,745 bilhões, afirmou nesta sexta-feira o diretor-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Rodrigo de Rato, num fórum na Costa Rica.Rato explicou que os grandes investidores internacionais vêem a região como um todo, assim como as oportunidades para promover o seu desenvolvimento."A América Latina há muito tempo está em desvantagem em relação a outras regiões" no que dis respeito a medidas "encaminhadas a estimular o investimento", acrescentou o dirigente do FMI.Pelos cálculos da instituição, entre 2003 e 2006 o investimento na América Latina não chegou a 20% do PIB, contra quase 30% na Europa oriental e Ásia Central e 35% nas nações emergentes da Ásia.O diretor-gerente do FMI considera necessário melhorar a produtividade na América Latina, "cronicamente baixa". "A América Latina poderia duplicar sua renda per capita até 2025 elevando a média de investimento para 24% do PIB e conseguindo um crescimento da produtividade de 2% ao ano", afirmou.No fórum, além de diretores do FMI, falaram autoridades das nações centro-americanas, empresários da região e empresas estrangeira interessadas em investir ou ampliar operações, como a Telefónica, Intel, HP, Wallmart e Microsoft.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.