Integrante de Pussy Riot 'quebrando pedras' em colonia penal russa

Duas delas foram condenadas a dois anos por fazer dança de protesto dentro de catedral.

BBC Brasil, BBC

31 de outubro de 2012 | 11h10

A integrante mais jovem nova da banda Pussy Riot, Nadezhda Tolokonnikova, de 22 anos, está cumprindo pena em uma colonia penal, na região da Mordovia, onde tem trabalhado quebrando pedras.

O marido dela contou em entrevista à BBC que apesar disso ela tem sido tratada de maneira aceitável e formal.

A prisão fica localizada a quase 500 quilômetros de Moscou em uma região deserta, que durante o regime de Stalin fez parte do sistema de gullags, prisões de trabalho forçado para onde eram enviados inimigos políticos do governo.

A outra integrante do Pussy Riot que está presa é Maria Alyokhina, de 24 anos, que foi enviada para um outro presídio em Perm.

O crime delas foi uma dança feita na principal catedral de Moscou, que, de acordo com o grupo Pussy Riot, foi uma manifestação política contra o presidente russo, Vladimir Putin.

Elas foram condenadas por "vandalismo, motivado por ódio religioso".

A integrante da banda, Yekaterina Samutsevich, chegou a ir para a prisão junto com Nadezhda, mas após recorrer da decisão, foi libertada.

Yekaterina disse que teme pela saúde de Nadezhda, já que o frio é intenso, onde ela está e as detentas só podem vestir os uniformes da penitenciária, que não são apropriados para temperaturas tão baixas. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.