Integrantes da Pussy Riot são consideradas culpadas

As três integrantes da banda punk feminista Pussy Riot foram consideradas culpadas das acusações de vandalismo, nesta sexta-feira. Eles estão presas há mais de cinco meses, por realizar uma "oração punk" contra o presidente Vladimir Putin na principal catedral de Moscou. A juíza Marina Syrova disse que as três "planejaram cuidadosamente" a ação ocorrida em 21 de fevereiro. A pena ainda não divulgada.

AE, Agência Estado

17 de agosto de 2012 | 09h01

O julgamento atraiu a atenção mundial, como um símbolo da intolerância do governo russo. Manifestantes em mais de 30 cidades ao redor do mundo estão nesta sexta-feira demonstrando seu apoio para a banda.

Uma ativista de topless serrou uma cruz na Ucrânia, máscaras foram colocadas em estátuas de soldados na Bulgária e cartazes pedindo por justiça podem ser vistos na Espanha. Os organizadores dos protestos esperam que milhares mais juntem-se às manifestações. Celebridades como Paul McCartney, Madonna e Bjork pediram a libertação das russas. As informações são da Dow Jones e Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
RússiaPussy Riotculpadas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.