AP Photo/ Zona.media via AP
AP Photo/ Zona.media via AP

Integrantes do grupo Pussy Riot detidas após protesto na Sibéria

Protesto foi organizado no domingo em apoio a um diretor ucraniano que cumpre em Yakutsk uma pena de 20 anos de prisão por 'terrorismo'

O Estado de S.Paulo

07 Agosto 2017 | 15h42

MOSCOU - Duas integrantes do grupo punk russo Pussy Riot foram detidas nesta segunda-feira, 7, em Yakutsk, na Sibéria, após uma manifestação de apoio aodiretor ucraniano preso Oleg Sentsov.

"Estamos na delegacia", escreveu no Twitter Maria Alyokhina, condenada em agosto de 2012 por ter cantado uma "oração anti-Putin" em uma catedral de Moscou. No fim de 2013, ela recebeu indulto do presidente Vladimir Putin.

Sua colega Olga Borisova explicou em um vídeo publicado no Twitter que elas foram levadas para a "delegacia, acusadas de terem cometido um delito administrativo, uma manifestação sem autorização".

O protesto foi organizado no domingo em apoio a Sentsov, que cumpre em Yakutsk uma pena de 20 anos de prisão por "terrorismo", depois de ter sido detido na Crimeia pouco depois da anexação em 2014 da península ucraniana pela Rússia.

As integrantes do Pussy Riot colocaram uma grande faixa em uma ponte de Yakutsk com as palavras Free Sentsov (Libertem Sentsov). / AFP 

Relembre: Caso da banda Pussy Riot na Rússia é momento histórico para o Punk

 

Mais conteúdo sobre:
RússiaUcrânia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.