Integrantes do grupo Pussy Riot fogem da Rússia

Duas manifestantes do grupo punk feminista Pussy Riot fugiram da Rússia para escapar da prisão. As manifestantes estão sendo perseguidas pela polícia por terem realizado um protesto contra o presidente Vladimir Putin na Catedral Cristo Salvador de Moscou, no dia 21 de fevereiro. Na ocasião, elas invocaram a Virgem Maria para tirar Putin do poder.

AE, Agência Estado

26 de agosto de 2012 | 13h38

"Duas de nossas colegas, que estão sendo procuradas pela polícia, conseguiram sair do território russo! Elas estão tentando recrutar feministas estrangeiras para preparar uma nova ação", escreveu o grupo em sua conta no Twitter, sem dar detalhes sobre o destino das integrantes.

Três membros do grupo - Maria Alyokhina, Nadezhda Tolokonnikova e Yekaterina Samutsevich - foram presas após a manifestação, e foram condenadas, no dia 21 de agosto, a dois anos de prisão por "vandalismo motivado por ódio religioso".

O Ocidente considera a decisão do tribunal russo arbitrária e excessiva. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.