Integrantes do Partido Comunista Chinês são condenados por tortura

Morte de engenheiro de 42 anos por 'imposição intencional de dano, seguido de morte por afogamento' resultou nas sentenças

O Estado de S. Paulo,

14 de outubro de 2013 | 16h05

PEQUIM - Seis integrantes do Partido Comunista Chinês foram sentenciados a penas entre 4 e 14 anos de prisão por torturarem até a morte outro membro do partido. Segundo os advogados da família da vítima, a as sentenças são um raro exemplo de punição legal contra abusos de integrantes do partido.

Um tribunal da cidade oriental de Quzhou chegou ao veredicto em 30 de setembro, mas a decisão não foi noticiadas pela imprensa chinesa. Os seis integrantes do partido foram condenados pela imposição intencional de dano, seguido de morte por afogamento, de Yu Qiyi, de 42 anos, engenheiro-chefe de uma empresa de investimento estatal na cidade de Wenzhou. Yu foi colocado repetidamente em um balde de água gelada pelos torturadores.

Não está claro o motivo pelo qual Yu estava sendo investigado, mas os advogados da família da vítima acreditam que se tratava de um caso ligado a negociação de terras. 

Cinco membros da organismo anticorrupção do partido foram condenados a penas que variam de 4 a 14 anos de prisão. O chefe do escritório local da promotoria foi condenado a oito anos. Todos poderiam ser condenados a pena de morte.

"Na realidade, eles querem controlar o escopo de pessoas que podem ser direcionados para isso", disse Pu Zhiqiang, advogado da família de Yu, referindo-se ao julgamento. "Mas o fato de membros da Comissão Central de Inspeção Disciplinar serem submetidos a estes tipos de sanções penais já é raro." /REUTERS

Tudo o que sabemos sobre:
Partido ComunistaChinatortura

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.