Inteligência aponta responsáveis por atentado em Mumbai

Os ataques terroristas contra o sistema ferroviário de Mumbai que deixaram cerca de 160 mortos e centenas de feridos nesta terça-feira foram realizados pelos grupos islâmicos Lashkar-e-Toiba (LeT) e Estudantes do Movimento Islâmico da Índia (SIMI), informou o Times of India, o maior jornal do país. Citando fontes da inteligência indiana, o jornal afirma que o objetivo do atentado era levar pânico à capital financeira do país.Ainda segundo o Times, as fontes afirmaram estarem quase certas de que as explosões foram planejadas por células do LeT, que contam com a colaboração de ativistas da SIMI - grupo que tem vários seguidores no Estado de Maharashtra, onde Mumbai está localizada. O LeT é um dos mais ativos grupos extremistas da Caxemira, região no noroeste do país cuja maioria muçulmana quer independência da Índia. O grupo conquistou apoio entre os separatistas por causa de seu envolvimento em 1999 no conflito de Kargil (quando soldados paquistaneses invadiram o território sob controle da Índia) e por enviar seus membros em missões suicidas contra postos militares em várias partes de Jammu-Caxemira - a parte controlada pela Índia.Dezenas de grupos, a maioria com base no Paquistão, foram responsáveis por ataques contra alvos indianos na última década. Mas o Lashkar-i-Toiba e o Jaish-i-Muhamad (Exército de Maomé), são considerados os mais eficazes e mortíferos.As informações da inteligência têm como base a escala do ataque, assim como informações precisas sobre a formação de células da LeT em Maharashtra.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.