Intensificam-se as buscas por Bin Laden

Os Estados Unidos e seus aliados intensificaram as buscas por Osama bin Laden e outros foragidos da Al-Qaeda na fronteira entre Afeganistão e Paquistão, temendo que eles respondam com atentados ao início de uma eventual guerra contra o Iraque, informaram fontes ligadas ao serviço secreto. As operações de busca ocorrem após a prisão, em 1º de março, do terceiro homem mais poderoso na hierarquia da Al-Qaeda, Khalid Shaikh Mohammed - suposto mentor dos atentados de 11 de setembro de 2001 contra Washington e Nova York.Nas horas seguintes à prisão, um beligerante Mohammed elogiou Bin Laden e alertou que os Estados Unidos "arderão em chamas se entrarem em Bagdá. Os norte-americanos de todo o mundo não estarão seguros", garanti, segundo relataram fontes do serviço secreto paquistanês à Associated Press.Autoridades paquistanesas negaram nesta quarta-feira uma notícia divulgada pela Rádio Irã segundo a qual o líder supremo da organização extremista Al-Qaeda teria sido detido no Paquistão.Citado pela Rádio Irã, Murtaza Poya, vice-líder do Partido Islâmico Awami Tahrik no Paquistão, forneceu a mesma informação a um repórter da Associated Press em Islamabad."Ele (Bin Laden) está sob custódia daqueles que o perseguiam e o anúncio será feito entre os dias 17 e 18 de março, quando a guerra contra o Iraque deverá começar", disse Poya, numa entrevista por telefone.Ele se recusou a revelar a fonte de sua informação e disse desconhecer onde Bin Laden teria sido detido ou estaria sob custódia.Autoridades paquistanesas negaram a informação fornecida por Poya. "Está incorreto", disse Iftikar Ahmed, um funcionário do Ministério do Interior do Paquistão. "Isto simplesmente não é verdade", comentou Javed Iqbal Cheema, coordenador do serviço secreto paquistanês no combate ao terrorismo.O ministro de Informação do Paquistão, xeque Rashid Ahmed, também negou a prisão de Bin Laden. Numa entrevista coletiva anterior, ele garantiu que Osama bin Laden não está no Paquistão. "Não temos informações sobre a presença de Bin Laden em nosso território. Se alguém possui essa informação, deveria repassá-la a nós."Em Washington, a CIA também negou a notícia sobre a prisão de Bin Laden. "Nós simplesmente não dispomos de nenhuma informação que fundamente essa notícia", disse o porta-voz Bill Harlow.Na Base Aérea de Bagram, centro das operações militares norte-americanas no Afeganistão, oficiais também disseram nada saber sobre a eventual prisão de Bin Laden.Ainda nesta quarta-feira, numa rara entrevista coletiva, oficiais do serviço secreto paquistanês disseram que Khalid Shaikh Mohammed admitiu ter encontrado Bin Laden em dezembro último, mas não revelou onde. Um vídeo foi apresentado para mostrar uma simulação da prisão de Mohammed, cujo rosto nunca foi mostrado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.