Internacional Socialista pede fim de perseguição na Venezuela

Após conferência regional na República Dominicana, organização também pede libertação de presos no país

EFE, O Estado de S.Paulo

12 Maio 2014 | 02h06

SANTO DOMINGO - Após uma reunião de dois dias em Punta Cana, na República Dominicana, a Comissão da Internacional Socialista para a América Latina e Caribe exigiu em comunicado divulgado ontem que o governo venezuelano liberte "todos os estudantes e presos políticos e pare com a perseguição aos opositores".

O órgão regional também exigiu das autoridades venezuelanas, por meio de um documento, que garantam a vida e a integridade dos cidadãos e permitam o regresso dos exilados.

Os representantes dos partidos políticos latino-americanos decidiram ainda apoiar o diálogo iniciado em 10 de abril entre o governo da Venezuela e os representantes da oposição, com o objetivo de encontrar uma saída para a crise política que afeta o país.

A resolução também expressou o desejo de que o diálogo produza resultados em pouco tempo e consiga alcançar a normalização da situação política, social e econômica da Venezuela.

A reunião, presidida pelo secretário-geral da Internacional Socialista, o chileno Luis Ayala, e pelo presidente da comissão, Miguel Vargas Maldonado, apoiou a criação na Venezuela de uma comissão da verdade para investigar as mortes durante as manifestações antigoverno.

Reforma. Os delegados também disseram apoiar o desarmamento de grupos armado e uma reforma política em órgãos público, incluindo o Conselho Nacional Eleitoral, o Supremo Tribunal de Justiça, e a Procuradoria-Geral da República.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.