Interrogado, ministro diz que Kelly apoiava guerra no Iraque

O secretário (ministro) da Defesa britânico, Geoff Hoon, disse nesta quarta-feira que o assessor governamental de armas cujo suicídio desencadeou uma intensa crise política apoiava a política do governo britânico para o Iraque. Hoon, o mais alto funcionário que já se apresentou nas audiências do processo que investiga a morte de David Kelly, afirmou que o cientista lhe disse que apoiava a iniciativa do governo para desarmar o Iraque.Hoon disse que Kelly havia feito esse comentário durante um encontro casual no início deste ano na cafeteria do Departamento de Defesa. Até então, Hoon não conhecia Kelly. Acrescentou que sua secretaria (ministério) está de acordo com o conteúdo do relatório governamental sobre o Iraque preparado para apoiar a iniciativa de ir à guerra, e disse que os dados da inteligência britânica sobre armas iraquianas era confiável. ?Minha opinião é de que a informação da inteligência é cumulativa e gradualmente oferece uma informação global?, acrescentou.Do lado de fora da sala onde Hoon era interrogado, um pequeno grupo protestava. Amanhã, o primeiro-ministro britânico, Tony Blair, se apresentará para depor perante a comissão investigadora.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.