Intocáveis buscam budismo como fuga das castas

Vítimas de preconceito e marginalizados pela sociedade indiana, integrantes de castas mais baixas, em especial os "intocáveis", vêm recorrendo ao budismo para escapar do sistema de divisão do hinduísmo. De acordo com o professor de Ciência da Religião da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP) Frank Usarski, a conversão de indianos para o budismo acontece porque esta é uma religião que não acredita em divisão social. "Muitos indianos procuram o budismo porque acreditam na igualdade e não na segregação", afirma Usarski. No entanto, ele alerta que a conversão para uma outra crença ainda não consegue resolver os problemas sociais e de convivência da sociedade indiana. "Na verdade, não existe uma escapatória do sistema de castas", disse. "Só existe a esperança de que, algum dia, essa divisão social acabe."Em maio, foi celebrada uma das maiores conversões coletivas da história recente da Índia, na cidade de Mumbai. Cerca de 50 mil pessoas, entre intocáveis e indianos de tribos nômades, converteram-se ao budismo. A conversão em massa aconteceu meio século depois de uma histórica cerimônia na qual 300 mil intocáveis tornaram-se budistas dirigidos pelo líder Bhimrao Ramji Ambedkar (1891-1956), símbolo da luta contra o sistema de castas. Ambedkar nasceu como intocável, mas rejeitou a religião hindu e sua condição social. Ele se tornou um ativista político e foi um dos pais da Constituição indiana de 1950, que aboliu oficialmente o sistema de castas no país.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.