Inundação deixa nove mortos na Austrália

Helicópteros militares procuravam hoje por dezenas de pessoas desaparecidas após uma enchente arrasar um vale australiano, arrastando veículos como se fossem brinquedos, em um dos mais mortíferos episódios da crise provocada pelas inundações em mais de uma semana. Pelo menos nove pessoas morreram nesse episódio, e as autoridades temem pela possibilidade de mais de uma dezena de outras mortes, de um grupo de 59 pessoas ainda não localizadas nas últimas 24 horas, após uma torrente de água atingir ontem o vale de Lockyer, no Estado de Queensland, disse a primeira-ministra estadual Anna Bligh.

AE, Agência Estado

11 de janeiro de 2011 | 09h10

Os meteorologistas calcularam que choveu 150 milímetros em meia hora perto da cidade de Toowoomba, provocando uma cheia e destruindo várias casas. A torrente perdeu força conforme chegava até a capital estadual de Brisbane, a terceira maior cidade de Austrália, com dois milhões de habitantes. O rio Brisbane transbordou hoje e as autoridades decretaram estado de alerta para dezenas de moradores de áreas baixas. Segundo as autoridades, partes do setor do centro da cidade poderiam ficar inundadas nos próximos dias.

A súbita cheia perto de Toowoomba ontem piorou a crise provocada pela inundação no Estado de Queensland e elevou o número de vítimas para 19. Os serviços de emergência recolheram mais de 40 pessoas presas em suas casas durante a noite pela torrente que arrasou o vale Lockyer - e milhares tiveram de deixar suas casas. Os 300 moradores de uma pequena comunidade perto da área atingida, em Forest Hill, foram retirados por via aérea para um lugar seguro por helicópteros militares, segundo a premiê estadual.

Hoje o número de mortos subiu para nove. A lista de desaparecidos caiu de 72 para 59, conforme foram sendo encontrados moradores presos. A tarefa das buscas foi dificultada pelas tormentas com raios e por mais chuvas na região. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Austráliaenchentesmortes

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.