Inundação no Afeganistão mata 32 e destrói mais de 700 casas

Enchentes causadas por fortes chuvas começaram a se espalhar na quinta-feira e deixaram um rastro de devastação passando por sete províncias

Redação, O Estado de S.Paulo

30 de março de 2019 | 16h47

Inundações repentinas mataram pelo menos 32 pessoas no oeste do Afeganistão, destruíram casas e varreram abrigos improvisados que receberam várias famílias, disse uma autoridade do governo neste sábado.

As inundações causadas por fortes chuvas começaram a se espalhar na quinta-feira e deixaram um rastro de devastação passando por sete províncias, disse Hasibullah Shir Khani, um porta-voz da Autoridade Nacional de Gerenciamento de Desastres do Afeganistão.

 

Outras 12 pessoas estavam desaparecidas e mais de 700 casas foram destruídas ou severamente danificadas, acrescentou ele.

As inundações pioraram uma situação já desesperadora. Centenas de milhares de pessoas foram desabrigadas na região pela severa seca do ano passado e pela guerra de 17 anos com o Taleban.

As inundações no início de março causaram mais destruição e colocam a colheita de trigo deste ano em risco.

“Minha casa e minha terra foram destruídas pelas inundações. Se você for ver a destruição, faz você chorar”, disse Shir Ahmad, que vive em uma cidade na província de Herat, que faz fronteira com o Irã.

Crianças andavam com dificuldade por áreas com lama e água até o joelho pelos acampamentos organizados para os desabrigados após a chuva. Algumas famílias amarravam roupas e lençóis para secar.

As inundações destruíram centenas de casas, alguns locais históricos, milhares de hectares de terra, pontes e estradas, disse Jilani Farhad, porta-voz da província./ REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.