Inundações deixam 30 mortos no sudeste do Cazaquistão

Rompimento de represa deixou Mais de 3.000 casas debaixo d'água; mais de 800 pessoas foram evacuadas

Efe,

12 de março de 2010 | 17h17

Ao menos trinta pessoas morreram em uma aldeia do sudeste do Cazaquistão em consequência das inundações provocadas pelo rompimento de duas represas, informou nesta sexta-feira, 12, a agência Interfax-Afeganistão.

 

Trinta cadáveres foram levados ao necrotério da região de Almaty, segundo uma fonte desse instituto citada pela agência de notícias.

 

60 casas foram arrastadas pelas águas na província de Alma Atá, disse à Interfax um porta-voz do Departamento de Emergência do país.

 

"Uma brecha na represa de Kyzil-Agach, na região de Almaty, deixou mais de 3.000 casas debaixo d'água, das quais 60 foram destruídas", disse o porta-voz.

 

O funcionário acrescentou que na localidade de Jylboulak, a ruptura de um dique obrigou as autoridades a evacuar mais de 800 pessoas.

 

As inundações obrigaram as autoridades a suspender o tráfico ferroviário e fechar várias estradas na região.

 

O primeiro-ministro do Cazaquistão, Karim Massimov, chegou nesta sexta à província para coordenar as operações de resgate - na qual participam 300 socorristas de todo o país - e avaliar os danos.

 

O presidente cazaque, Nursultán Nazarbayev, deu os pêsames "aos familiares dos mortos e de todas as vítimas do drama", e ordenou a criação de uma comissão governamental para fazer frente à emergência de socorrer os danificados.

Tudo o que sabemos sobre:
Cazaquistãoinundaçãorepresa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.