Inundações deixam cerca de 180 mortos ou desaparecidos no Iêmen

Aproximadamente 180 pessoas morreram ou estão desaparecidas depois que chuvas torrenciais provocaram graves inundações no Iêmen, deixando mais de 10.000 desabrigadas, informaram agências das Nações Unidas na terça-feira. O Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (Acnur), que já estava no país trabalhando com refugiados e desabrigados que fugiram da Somália para o Iêmen através do golfo de Aden, informou que já está auxiliando iemenitas afetados pelo desastre. Cerca de 2.000 residências, linhas de energia, estradas e linhas telefônicas foram destruídas e ou danificadas. O fornecimento de água também foi prejudicado, afirmou a Secretaria para a Coordenação de Assuntos Humanitários. A vizinha Arábia Saudita prometeu ajudar as vítimas da inundação com 100 milhões de dólares, afirmou na terça-feira o presidente iemenita, Ali Abdullah Saleh, segundo a mídia local. O Iêmen é um dos países mais pobres do mundo e seu governo está lutando contra uma rebelião no norte, contra agitações no sul e contra uma insurgência da al Qaeda, enquanto um número crescente de refugiados somalis aumenta a necessidade de recursos do país. Situado no norte da península arábica, o Iêmen tem uma predisposição para inundações durante a temporada de chuva de monções. (Reportagem de Jonathan Lynn)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.