Inundações matam pelo menos 377 no sul da China

Pelo menos 377 pessoas morreram e 142 continuam desaparecidas na China por causa das tormentas que atingem há mais de uma semana o sul do país, afirmaram hoje autoridades. A Administração Meteorológica da China informou, em sua página na internet, que estão previstas mais chuvas. A continuação das tormentas ameaça dificultar as ações de socorro, que incluíram a retirada de 4,4 milhões de pessoas de áreas em risco.

AE-AP, Agência Estado

25 de junho de 2010 | 11h05

O número de mortos havia sido elevado para 211 nos últimos dias, após as chuvas atingirem as regiões de Guizhou, Hunan, Jiangxi, Zhejiang, Fujian e Guangxi, no sul do país, segundo o Centro Estatal de Assistência contra a Seca e para o Controle das Inundações, em seu site. O governo afirma que as inundações causaram danos equivalentes a US$ 11 bilhões.

Grupos de trabalhadores e soldados começaram hoje a reparação de duas áreas às margens do rio Fuhe, perto de Fuzhou, na província de Jiangxi, informou o Centro para o Controle de Inundações de Jiangxi em seu site. Os trabalhos de reparos ocorrem dias após o naufrágio do rio e o rompimento de um dique abrigarem cem mil pessoas a deixar suas casas. Além da destruição de 368 mil residências, os temporais que assolam há mais de uma semana o sul da China causaram deslizamentos, bloqueando rotas e fazendo transbordar rios e represas da região.

Tudo o que sabemos sobre:
Chinainundaçõesmortes

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.