Rungroj Yongrit/Efe
Rungroj Yongrit/Efe

Inundações na Tailândia já deixaram 11 mortos

Enchentes que já duram sete dias afetou 1 milhão de pessoas; milhares estão há dias sem eletricidade e comunicação

Efe,

30 de março de 2011 | 04h41

BANGCOC - Onze pessoas morreram e mais de 1 milhão foram afetadas, incluindo milhares de turistas, pelas inundações e os deslizamentos de terra provocados pelas fortes chuvas no sul da Tailândia, informaram fontes oficiais nesta quarta-feira, 30.

 

O exército enviou seu único porta-aviões para colaborar nos trabalhos de resgate das vítimas que perderam suas casas pelos temporais na que costuma ser a época mais quente e seca do ano.

Milhares de pessoas estão presas nas ilhas de Koh Tao e Samui, no Golfo da Tailândia, já que os navios não podem deixar os portos devido ao estado do mar.

 

Desde segunda-feira todos os voos estão cancelados no aeroporto de Samui, o que deixou em terra milhares de passageiros, principalmente turistas estrangeiros.

 

O vice-primeiro-ministro tailandês, Suthep Thaugsuban, indicou que o porta-aviões do exército se prepara para o resgate de 1 mil pessoas na ilha de Koh Tao.

 

"Há cerca de 1 milhão de afetados em muitas províncias. A princípio, pensamos que as enchentes durariam um dia ou dois dias, mas já passou uma semana", disse Thaugsuban.

 

Milhares de tailandeses estão há dias sem eletricidade nas províncias do sul, onde todas as comunicações foram suspensas pelas chuvas.

 

As inundações, que começaram há sete dias, provocaram a morte de sete pessoas na província de Nakhon Si Thammarat, três em Surat Thai e outra em Patthalung, declaradas zonas de desastre, assim como outras cinco províncias.

 

Entre outubro e novembro do ano passado, mais de 200 pessoas morreram pelas inundações que afetaram 8,6 milhões de pessoas em 51 das 77 províncias da Tailândia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.