Inundanções custarão US$ 9,7 bilhões ao Paquistão, diz estudo

Setores agrícolas são os mais afetados; danos também remetem à infraestrutura

Reuters

14 de outubro de 2010 | 12h32

 

ISLAMABAD - As enchentes de agosto e setembro no Paquistão causaram danos em fazendas, casas e na infraestrutura que custarão aproximadamente US$ 9,7 bilhões ao país, informaram nesta quinta-feira, 14, o Banco de Desenvolvimento da Ásia (ADB, na sigla em inglês) e o Banco Mundial.

 

Um estudo dos danos feito pelas instituições aponta que a agricultura - principal setor econômico do Paquistão - e a pecuária foram as áreas mais atingidas pelo desastre, que deixaram a já frágil situação econômica do Paquistão ainda pior. As enchentes deixaram mais de 10 milhões de pessoas desabrigadas e afetaram um total de 20 milhões.

 

"As enchentes que varreram o Paquistão desde o fim de julho causaram um prejuízo estimado de US$ 9,7 bilhões à infraestrutura, às fazendas, às casas e perdas diretas e indiretas em outros setores", diz o relatório dos bancos.

 

O estudo considerou 15 setores chave no Paquistão. A estimativa inclui prejuízos diretos, perdas indiretas e custos de reconstrução.

Tudo o que sabemos sobre:
Paquistãoprejuízoenchentes

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.