Invasão de coelhos fecha museu de Mandela

O museu de Robben Island, África do Sul, ficará fechado enquanto as autoridades sacrificam uma colônia de coelhos que invadiu o local onde Nelson Mandela foi preso. Os funcionários disseram na terça-feira que o museu, visitado por turistas que querem ver a cela onde ficou o ex-presidente sul-africano, ficará fechado temporariamente. Os coelhos serão mortos para proteger a vegetação e as construções históricas do local, que é patrimônio da humanidade. "A população atual é tão grande que ameaça prejudicar de forma permanente a delicada vegetação da ilha e representa uma grave ameaça a outras espécies animais", disse Seelan Naidoo, presidente do museu, em um comunicado. Naidoo disse desconhecer a quantidade exata de coelhos na ilha. Assim que os animais forem sacrificados, será feito um programa de esterilização para manter a população de coelhos pequena e sustentável. O museu, que fica em frente à costa da Cidade do Cabo, ficará fechado entre 1o e 16 de novembro. (Reportagem de Wendell Roelf)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.