Mike Segar/Reuters
Mike Segar/Reuters

Investigação aponta elo de secretário de Trump com bilionário russo e genro de Putin

Empresa que tem Wilbur Ross como sócio manteve laços comerciais com empresa ligada a russos, revelam documentos

O Estado de S. Paulo

05 Novembro 2017 | 23h25

O secretário de Comércio dos EUA, Wilbur Ross, manteve laços comerciais com uma empresa de transporte ligada intimamente a um bilionário russo e um genro de Vladimir Putin, de acordo com a análise de um novo vazamento de documentos de paraísos fiscais.

Essa é uma das principais revelações dos Paradise Papers, novo trabalho do Consórcio Internacional de Jornalistas de Investigação (ICIJ) e mídias associadas, incluindo o New York Times, Le Monde e The Guardian

Essas divulgações baseiam-se em um vazamento de documentos relacionados, entre outros, ao escritório de advocacia internacional Appleby, nas Ilhas Bermudas, obtidos pelo jornal alemão Süddeutsche Zeitung.

De acordo com o New York Times, o Secretário de Comércio de Donald Trump, reduziu sua participação pessoal na empresa Navigator Holdings durante sua aquisição em fevereiro. Mas ele ainda controla, através de empresas offshore, 31% de seu capital.

Um dos principais clientes da Navigator Holdings é a empresa russa de produtos de gás e petroquímica Sibur, que contribuiu com US$ 26 milhões para o seu volume de negócios em 2016, escreve o jornal francês Le Monde.

Entre os proprietários da Sibur estão Gennady Timchenko, um bilionário próximo do presidente russo Vladimir Putin que foi proibido pelo Tesouro dos EUA de fazer negócios com o país após a invasão da Criméia por Moscou e Kiril Chamalov, casado com a filha mais nova de Putin. Tais donos fazem com que a empresa seja uma "companhia com conexões de compadrio" em Moscou, disse ao The New York Times Daniel Fried, um especialista em Rússia que trabalhou no Departamento de Estado dos EUA em governos republicanos e democratas. 

Outro cliente importante da Navigator é a Petróleos de Venezuela (PDVSA) a estatal venezuelana de petróleo controlada pelo regime de Nicolás Maduro. Em junho, o governo Trump impôs sanções a PDVSA.

O porta-voz do Departamento de Comércio, James Rockas, disse ao ICIJ que as negociações da Navigator com a Sibur ocorreram antes que Ross tivesse participação e que o secretário nunca conheceu o genro de Putin.

Ross e Trump conhecem-se há mais de 25 anos. O secretário do Comércio foi um dos principais criadores do acordo de bancarrota do Taj Mahal —um cassino de Trump que faliu em Atlantic City. /AFP e NYT

Mais conteúdo sobre:
Donald Trump

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.