Investigação confirma que Mubarak usou atiradores de elite contra manifestantes

A mais importante investigação a respeito das cerca de 900 mortes de manifestantes durante a insurreição que depôs o ditador egípcio Hosni Mubarak conclui que a polícia do Cairo está por trás de quase todos os assassinatos. Segundo a apuração, as autoridades policiais posicionaram atiradores de elite em telhados de todos de prédios com vistas para a Praça Tahrir, epicentro das manifestações. As informações foram obtidas com exclusividade pela agência Associated Press. De acordo com o relatório da investigação, até agora o mais contundente e detalhado sobre as mortes durante os protestos, o uso de franco-atiradores só pode ter sido organizado com conhecimento de Mubarak.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.