Investigação global sobre fraude em passagens aéreas resulta em 118 prisões

Mais de 100 pessoas foram presas no mundo todo nesta semana após uma investigação realizada em 45 países sobre o uso de cartões de crédito roubados para a compra de passagens aéreas, informou a agência europeia de polícia Europol nesta sexta-feira.

REUTERS

28 de novembro de 2014 | 12h51

A investigação, coordenada pela sede da Europol em Haia com participação também das polícias de Cingapura e Bogotá, teve como objetivo combater um tipo de crime que custa ao setor de companhias aéreas 1 bilhão de dólares ao ano.

Em alguns casos, foram encontradas provas ligando a fraude de cartões de crédito a outros crimes graves incluindo tráfico de drogas e de pesoas, disse a Europol.

"Ficou claro para as companhias aéreas que elas enfrentam crime organizado nesta luta", disse Meta Backman do Grupo de Prevenção de Fraudes de Companhias Aéreas da Europa, em comunicado.

Ao menos 281 transações suspeitas foram identificadas e 118 pessoas foram presas após as buscas, que duraram dois dias e aconteceram em 80 aeroportos espalhados pelo mundo e incluíram 60 companhias aéreas.

Representantes das companhias aéreas, de companhias de cartões de crédito e policiais participaram da investigação, permitindo que companhias aéreas rapidamente levantassem alerta sobre transações suspeitas para as companhias de cartões.

As prisões foram feitas pelos policiais que aguardavam em grandes aeroportos.

(Por Thomas Escritt)

Mais conteúdo sobre:
GERALEUROPOLPASSAGENSAEREAS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.