Investigação identifica provas de corrupção e fraude em eleição afegã

Investigação da BBC indica que cédulas estão sendo vendidas no país e há relatos de compra de votos.

BBC Brasil, BBC

18 de agosto de 2009 | 01h48

Uma investigação da BBC encontrou provas de fraude e corrupção na eleição presidencial do Afeganistão, marcada para quinta-feira.

Milhares de cédulas de voto foram oferecidas para venda a um funcionário afegão da BBC que se fingiu de comprador. As cédulas estavam sendo vendidas a menos de US$ 10 cada. Outros vendedores fizeram ofertas similares.

As descobertas são divulgadas poucos dias antes do pleito, no qual o atual presidente, Hamid Karzai, enfrenta mais de 30 candidatos.

Um funcionário afegão da BBC foi enviado a Cabul disfarçado para investigar relatos de que as cédulas estariam sendo vendidas na capital.

Segundo Ian Pannell, na capital afegã, é impossível saber quantas cédulas foram vendidas dessa maneira. Ele afirma, no entanto, que a polícia já realizou diversas prisões de envolvidos no esquema.

Ele disse ainda que um líder tribal no norte do país afirmou ter recebido uma proposta de milhares de dólares por equipes de campanha para entregar grandes volumes de votos.

Um grupo independente que monitora as eleições disse que já havia entregado provas de corrupção no pleito desta quinta-feira às autoridades afegãs, mas que ainda não receberam resposta ou reações sobre as informações entregues.

Pannell afirma que autoridades ocidentais já haviam previsto fraude na eleição presidencial, mas insistem que um pleito fraudulento ainda é melhor do que nenhuma votação.

Os últimos comícios da campanha eleitoral no Afeganistão foram realizados na segunda-feira.

Talebã

A eleição presidencial será realizada em meio a crescente violência no país, com ameaças de militantes do Talebã contra aqueles que decidirem participar do pleito.

Há temores de que o comparecimento às urnas seja baixo como resultado dessas ameaças.

Um levantamento da BBC divulgado na segunda-feira indica que cerca de 30% das zonas eleitorais do Afeganistão não estão completamente seguras, a apenas três dias das eleições presidenciais no país.

A rede de colaboradores do serviço afegão da BBC avaliou a situação dos mais de 350 distritos do país e chegou à conclusão de que em mais de cem deles falta segurança totalmente ou parcialmente.

O governo afegão, no entanto, afirma que será capaz de garantir a segurança em 6,5 mil dos 7 mil postos eleitorais do país, e que apenas nove ou dez distritos estão fora do alcance das forças de segurança.

Um porta-voz do presidente afegão, Hamid Karzai, disse discordar das conclusões do levantamento, destacando que existiriam problemas de segurança em apenas poucos distritos.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.