Investigação judicial começou há três anos

O ex-ditador Augusto Pinochet e sua família foram acusados em 2004 por desvio de fundos públicos por meio de contas secretas abertas no Banco Riggs, em Washington, e em outras entidades bancárias. De acordo com a Justiça chilena, Pinochet teve ajuda de sua família para esconder mais de US$ 27 milhões em mais de cem contas bancárias no exterior.Numa declaração de bens entregue em 1989 - durante seu governo militar -, o ex-ditador omitiu essas contas, que eram movimentadas com documentos falsos.Segundo as investigações, o ex-ditador começou a esconder seu dinheiro em contas no exterior em 1981 e as manteve oito anos depois de entregar o governo, em 1990. Ele permaneceu no cargo de comandante do Exército até 1998.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.