Investigação na família de líder chinês indica mudança política

Xi Jinping faz devassa na família de Zhou Yongkang, acusada de enriquecer às custas do Estado e do PC

MICHAEL FORSYTHE , CHRIS BUCKLEY , JONATHAN ANSFIELD , THE NEW YORK TIMES, O Estado de S.Paulo

21 de abril de 2014 | 02h05

Seu filho conseguiu contratos para vender equipamentos a campos petrolíferos estatais e milhares de postos de gasolina em toda a China. A sogra de seu filho tinha participação em oleodutos e bombas de gás natural da Província de Sichuan, na parte ocidental da China, até a Ilha de Hainan, no sul do país. E sua cunhada, trabalhando de um dos mais prestigiosos edifícios de escritórios em Pequim, investiu em minas, propriedades e projetos energéticos.

Em milhares de páginas de documentos empresariais descrevendo esses negócios, o nome que jamais aparecia era o dele mesmo: Zhou Yongkang, líder do Partido Comunista Chinês que atuou como funcionário de alto escalão de segurança da China e o chefe de fato de sua indústria petrolífera.

O presidente Xi Jinping, entretanto, colocou Zhou como alvo em uma abrangente investigação de corrupção, a primeira voltada para um líder da estatura de Zhou, e pôs os amplos interesses econômicos de sua família em cheque.

Mesmo para os padrões selvagens da política chinesa, trata-se de uma manobra ousada. As finanças das famílias dos líderes veteranos estão entre os mais delicados e profundos segredos políticos da China. O partido seguiu uma regra tácita de que parentes da elite poderiam prosperar na abertura econômica do país. Isso recompensava lealdade e ajudava a evitar disputas na liderança.

Seja para erradicar a influência de Zhou ou mandar um recado claro para toda a elite do partido, Xi parece estar reescrevendo as regras. Ele ampliou a investigação sobre Zhou para incluir sua mulher, um filho, um irmão, uma cunhada, uma enteada e o sogro do filho, todos detidos pelas autoridades recentemente, segundo parentes e testemunhas.

Mary Zhan Minli, uma das poucas integrantes do clã que continua livre, disse que sua neta - que é também neta de Zhou - foi deixada em uma creche em Pequim porque o restante da família está sob custódia. "É muito cruel para uma criança de 5 anos", disse ela, em uma entrevista de sua casa no sul da Califórnia. "O governo precisa responder ao povo assim como à própria liderança."

Oficialmente, a liderança chinesa não disse nada sobre a investigação de corrupção contra Zhou ou a detenção de seus parentes próximos. E as intenções definitivas de Xi sobre como conduzir o caso continuam objeto de especulação.

Outro irmão de Zhou Yongkang, Zhou Yuanxing, um fazendeiro convertido em distribuidor de bebidas alcoólicas, foi colocado sob vigilância permanente da polícia em Xigiantou, vilarejo de 400 pessoas próximo ao rio Yangtze, na Província de Jiangsu, segundo vizinhos dele. Escapou de ser processado com outros integrantes da família de Zhou porque morreu em fevereiro.

Analistas afirmam que um líder do calibre de Zhou não enfrentaria um inquérito desse tipo, a menos que Xi o considerasse uma ameaça direta. Em outras palavras, Zhou é um derrotado em uma luta política. Sua família perdeu imunidade só porque Zhou caiu em desgraça.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.