Investigação reforça tese de suicídio de ex-ministro alemão

Autoridades que investigam a morte, durante um salto de pára-quedas, de um ex-ministro alemão envolvido em escândalos disseram não ter encontrado nada de errado com seu pára-quedas nem traços de drogas ou álcool no cadáver, reforçando suspeitas de que Juergen Moellemann se suicidou. Ele era um pára-quedista veterano que saltou para a morte de uma altura de 4.000 metros na quinta-feira, no momento em que promotores vasculhavam escritórios e casas de sua propriedade e de pessoa ligadas a ele, numa investigação sobre financiamento de campanha.Dois especialistas checaram o equipamento de Moellemann hoje, e não encontraram evidência de que o pára-quedas apresentasse defeito ou tenha sido sabotado, informou Wolfgang Reinicke, um promotor da cidade de Essen. "Não havia nada de errado" com o pára-quedas, disse Reinicke. "O pára-quedas reserva não foi aberto pelo senhor Moellemann".Reinicke havia dito anteriormente que os investigadores estavam intrigados pelo fato de o pára-quedas de reserva não ter aberto automaticamente. Pode levar semanas para se chegar a conclusões sobre a morte de Moellemann, que atingiu o solo a uma velocidade de 200 km/h, adiantou Reinicke.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.