Investigação revela abusos de crianças por forças da ONU

Uma investigação feita pela rede britânica BBC revelou que crianças no Haiti e na Libéria foram vítimas de abusos sexuais e prostituição por parte das forças de paz das Nações Unidas, mobilizadas nestes países. As forças de paz da ONU no Haiti são comandadas pelo Exército do Brasil. As crianças denunciaram encontros regulares com soldados, quando estes exigiam ter relações íntimas com elas em troca de alimentos ou dinheiro, acrescentou a emissora pública. A ONU enfrentou vários escândalos pela atuação de seus soldados nos últimos anos, como uma rede de pedofilia na República Democrática do Congo e tráfico de pessoas para prostituição no Kosovo. "Tivemos problemas, provavelmente desde o início da força de paz, como exploração de população vulnerável", disse à BBC, a assistente da Secretaria-Geral da ONU para as operações de paz, Jane Holl Lute. Jane não descartou que isto possa ocorrer em todas as missões de paz da ONU. A BBC afirmou que uma menina de 11 anos no Haiti informou que sofreu abuso sexual por parte das forças de paz em frente ao palácio presidencial em Porto Príncipe. A emissora acrescentou que uma adolescente de 14 anos falou que foi estuprada em uma base naval da ONU no país há dois anos. Apesar de um detalhado exame médico, a denúncia foi desconsiderada pela ONU diante da falta de evidência. Na Libéria, uma adolescente de 15 anos afirmou ter sido atacada por um oficial da ONU em 15 de novembro. Em maio deste ano, outra investigação da emissora britânica descobriu um abuso sistemático no país, como a entrega de alimentos a refugiados adolescentes em troca de sexo. A ONU, segundo a BBC, respondeu com a introdução de aulas obrigatórias a todo o pessoal sobre como deviam se comportar.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.