Investigação vê atentado em morte de premier português

Novos testes científicos apóiam a teste de que o desastre aéreo que matou o primeiro-ministro de Portugal, Francisco Sá Carneiro, em 1980, foi provocado por uma bomba a bordo do avião, um bimotor Cessna. O parlamentar Nuno Melo, que preside uma comissão de inquérito sobre o caso, disse que aparentemente uma pequena bomba foi colocada no cockpit para destruir os controles da aeronave e incapacitar o piloto.Sá Carneiro e o então ministro da Defesa, Adelino Amaro da Costa, morreram quando o avião caiu num subúrbio de Lisboa, 43 segundos após a decolagem. As mulheres dos dois, o secretário do ministro, piloto e co-piloto também morreram.O relatório final do inquérito parlamentar será divulgado ainda nesta semana. A Justiça então decidirá se o caso deve ou não ser reaberto. Os parlamentares começaram a investigar a morte de Sá Carneiro em julho de 2002, depois que investigações conduzidas em particular por um advogado e um jornalista levantaram a hipótese de sabotagem.Segundo o advogado, a pasta do ministro da Defesa, destruída no acidente, continha provas da participação de militares portugueses em tráfico de armas para a África e o Oriente Médio.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.