Investigado, ex-líder sul-coreano se mata

Roh, que deixou nota de suicídio, é encontrado após queda de montanha

REUTERS E AP, O Estadao de S.Paulo

23 de maio de 2009 | 00h00

O ex-presidente da Coreia do Sul Roh Moo-hyun (2003-2008) suicidou-se neste sábado de manhã aparentemente pulando se uma montanha perto da casa dele em Gimhae, sul do país, informou a agência sul-coreana Yonhap. Um antigo secretário de Roh, Moon Jae-in, disse em entrevista coletiva que o ex-presidente deixou uma nota dizendo que pretendia se suicidar.Um agente da polícia disse que o caso está sendo investigado e revelou que o corpo será submetido a uma autópsia.Roh sofreu graves ferimentos na cabeça e morreu quando estava sendo transportado de uma localidade próxima de sua casa para um hospital na cidade de Busan, sul do país. Roh estava sendo investigado por causa de um escândalo de suborno. A família do ex-presidente é acusada de ter recebido mais de US$ 6 milhões de um empresário quando ele ainda estava na presidência.Roh, cuja popularidade estava em baixa quando deixou o cargo, admitiu que a mulher dele havia aceitado dinheiro de um rico empresário local sem seu conhecimento e pediu desculpas publicamente pelo escândalo. O empresário, um fabricante de sapatos, também teria pago US$ 5 milhões ao marido de uma sobrinha do ex-presidente. Roh nunca admitiu que teve uma conduta incorreta.Roh foi o terceiro presidente sul-coreano acusado de corrupção, após os casos de Chun Doo-hwan e Roh Tae-woo, que foram condenados à morte em 1995 por receber subornos.Durante seu governo, Roh tentou obter a reconciliação com a Coreia do Norte - sem sucesso -, principalmente por meio da cooperação econômica, e se encontrou com o líder norte-coreano Kim Jong-il, em 2007.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.