Investigadores coletam partes de avião caído na Ucrânia há 4 meses

As investigações sobre a queda do avião são feitas no próprio país e na Holanda; coleta dos destroços pode levar cerca de 10 dias

Estadão Conteúdo

16 de novembro de 2014 | 10h10

Os destroços do voo 17 da Malaysia Airlines começaram a ser coletados neste domingo, 16, quatro meses após o avião ter sido derrubado no leste da Ucrânia. A operação é realizada sob supervisão de investigadores holandeses e representantes da Organização para Segurança e Cooperação na Europa.

Os fragmentos serão colocados em trens e levados até a cidade de Kharkiv, na parte do país que é controlado pelo governo de Kiev. As investigações sobre a queda do avião prosseguirão lá e na Holanda simultaneamente.

Alexander Kostrubitsky, chefe dos serviços de emergência na região de Donetsk, controlada pelos rebeldes, disse que a coleta dos destroços pode levar cerca de 10 dias. Os fragmentos estão sendo cortados em pedaços menores para facilitar o transporte.

A primeira leva de partes do avião foi entregue em um armazém de uma serraria na cidade de Torez e deve ser transportada por trem ainda hoje.

Os esforços para investigar a queda e recuperar os destroços têm sido atrasados pelos conflitos contínuos entre rebeldes e soldados do governo. Um acordo de cessar-fogo foi assinado em setembro, mas a hostilidade na região tem continuado.

A Ucrânia e países ocidentais culpam os separatistas apoiados pela Rússia por derrubarem o avião com um míssil. Fonte: Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.