Irã acusa Alemanha e França por assassinatos

O ministro de Inteligência iraniano, Heydar Moslehi, acusou ontem a Alemanha e a França de envolvimento nos assassinatos de cientistas nucleares ocorridos no Irã. Anteriormente, o país persa havia acusado EUA, Israel e Grã-Bretanha de planejar os atentados com a intenção de prejudicar o enriquecimento de urânio realizado por Teerã. Pelo menos quatro pesquisadores ligados ao programa atômico iraniano foram assassinados na república islâmica desde 2010 - o último caso ocorreu em janeiro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.