EFE/Yahya Arhab
EFE/Yahya Arhab

Irã acusa Arábia Saudita de bombardear embaixada no Iêmen

Segundo porta-voz do ministério das Relações Exteriores, aviões da coalizão lidera pelos sauditas atacaram 'deliberadamente' a representação da República Islâmica na noite de quarta-feira

O Estado de S. Paulo

07 Janeiro 2016 | 10h45

TEERÃ - O governo do Irã acusou a Arábia Saudita nesta quinta-feira, 7, de ter atacado "deliberadamente" sua embaixada no Iêmen com os aviões de guerra da coalizão que combate os rebeldes houthis em Sanaa e é liderada pelos sauditas, deixando várias pessoas feridas, incluindo funcionários da representação iraniana.

"A Arábia Saudita é responsável pelos danos causados a embaixada do Irã e aos ferimentos provocados em alguns de nossos funcionários que estavam na sede diplomática", declarou à emissora estatal iraniana Irib o porta-voz do ministério de Relações Exteriores da República Islâmica, Hossein Jaber Ansari. "Essa ação deliberada da Arábia Saudita é uma violação de todas as convenções internacionais que protegem as delegações diplomáticas.

Em resposta as acusações feitas pelo Irã, o porta-voz da coalizão liderada pela Arábia Saudita, general Ahmed Asseri, afirmou que o comando de operações da coalizão já iniciou uma investigação sobre o caso. Ainda segundo Asseri, os bombardeios realizados na noite de quarta-feira na capital iemenita tinham como alvo lançadores de mísseis utilizados pelos Houthhis que foram escondidos em prédios civis, incluindo embaixadas abandonadas.

Importações. O Irã proibiu nesta quinta-feira a importação de todos os produtos produzidos na Arábia Saudita, em resposta a medida de Riad de cortar laços diplomáticos com Teerã após a embaixada saudita ser atacada em retaliação à execução do clérigo xiita Nimr Baqr al-Nimr pelos sauditas.

A decisão iraniana foi tomada em uma reunião emergencial do gabinete do presidente Hassan Rohani, disse a emissora estatal do país, ao anunciar a medida. As importações da Arábia Saudita feitas por Teerã ultrapassam os US$ 60 milhões por ano e são constituídas, em sua maioria, por materiais de embalagens e produtos têxteis.

A Arábia Saudita cortou suas relações diplomáticas com o Irã no domingo depois de grupos de manifestantes atacarem as instalações de sua representação na capital iraniana. Os ataques aconteceram depois que Riad executou Nimr no fim de semana. / REUTERS, EFE e AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.