Abir Sultan e Mandel Ngan/AFP
Abir Sultan e Mandel Ngan/AFP

Irã acusa Bahrein de ser 'cúmplice de crimes' de Israel após acordo de normalização

País também acusou Israel de ter provocado 'décadas de violência, massacres, guerra e terror na Palestina'

Redação, O Estado de S.Paulo

12 de setembro de 2020 | 05h18

TEHERAN - O Irã acusou o Bahrein de ser "cúmplice dos crimes" de Israel neste sábado, 12, após o anúncio de um acordo que vai normalizar as relações entre os dois países.   

"Os líderes de Bahrein serão agora cúmplices dos crimes do regime sionista, uma constante ameaça para a segurança da região e para o mundo muçulmano", disse o Ministério das Relações Exteriores do Irã em um comunicado. 

O Teheran também acusou Israel de ter provocado "décadas de violência, massacres, guerra, terror e derramamento de sangue na Palestina". 

O Bahrein se tornou o segundo país do Golfo a normalizar relações com Israel, menos de um mês depois de um acordo semelhante entre Israel e Emirados Árabes Unidos, o quarto país árabe do mundo a estabelecer estes laços. 

Assim como a maioria dos países do Golfo, Bahrein compartilha com Israel e Estados Unidos a mesma hostilidade com o Irã. Bahrein acusa o país de utilizar a comunidade xiita contra a dinastia governante./AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.