Irã acusa CIA de fazer guerra psicológica contra o país

O governo iraniano afirmou hoje que a Agência Central de Inteligência dos Estados Unidos (CIA, na sigla em inglês) está lançando uma "guerra psicológica" contra o país persa. Segundo a administração iraniana, a CIA sabe que o programa nuclear da república islâmica não tem fins militares.

AE, Agência Estado

28 de junho de 2010 | 10h03

Um porta-voz do Ministério das Relações Exteriores iraniano rechaçou os comentários do diretor da CIA, Leon Panetta, de que o Irã pode ter armas nucleares preparadas e que estariam prontas para uso em 2012.

"Essas declarações caem no âmbito da guerra psicológica, destinada a criar uma percepção negativa sobre as atividades nucleares pacíficas do Irã", disse o porta-voz, em referência aos comentários feitos ontem por Panetta. "Os funcionários americanos, especialmente o aparato de inteligência deles, sabem que o programa nuclear do Irã não é de modo algum militar, mas voltado para fins pacíficos", afirmou o porta-voz.

Países liderados pelos EUA temem que o Irã busque secretamente armas nucleares, mas Teerã sempre alegou ter apenas fins pacíficos, como a produção de energia. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.